Crise de pânico ou infarto? Sintomas podem ser muito parecidos: saiba diferenciar


A crise de pânico se caracteriza pela elevação abrupta de adrenalina no corpo, causando sintomas como dor na região do peito, falta de ar e a sensação de fechamento da garganta, entre muitos outros.

Apesar de ser um acometimento de ordem emocional, o paciente tem a nítida sensação de que irá morrer e sente efeitos físicos do nervosismo.

Como os sintomas são muitas vezes parecidos, é comum que, durante a crise de pânico, o paciente pense, na verdade, que está enfartando.

"Muitas pessoas confundem as duas condições. Quando um indivíduo tem sua primeira crise de pânico, por não ter familiaridade com os incômodos, é normal acabar indo ao hospital com suspeita de infarto” afirma o professor Mario Louzâ, médico psiquiatra, doutor em Medicina pela Universidade de Würzburg, Alemanha, e membro da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo.

Ataque cardíaco ou ataque de pânico?
Enquanto a crise de pânico não requer tratamento medicamentoso imediato e tende a acabar sozinha, o ataque do coração necessita de atendimento de emergência, pois a demora tende a ser fatal.

O psiquiatra ensina os principais meios de diferenciar as duas condições:

Crise de pânico: sintomas físicos

Em termos gerais, trata-se de um quadro agudo de nervosismo que pode ocorrer mesmo sem causa aparente. A medicina ainda não sabe explicar a origem do problema.

  • “É um incômodo muito localizado na área do tórax e pessoas relatam sentir uma ‘bola’ na garganta”, comenta o psiquiatra;
  • Pode acontecer inesperadamente, sem perigo por perto ou situação de estresse;
  • Trata-se de uma sensação de dor de curta duração, com pico, geralmente, nos 10 minutos, e que pode durar até no máximo 30 minutos;
  • A sensação de que algo está errado pode afetar a respiração e dar sensação de falta de ar;
  • Podem ocorrer outros sintomas, como tontura, formigamento na mão, sudorese, tremores, enjoo;
  • “Há uma descarga de adrenalina no organismo, cujo motiva a ciência ainda não explica, mas que pode causar os sintomas como taquicardia, por exemplo”, comenta Mario Louzâ, assegurando que a aceleração dos batimentos não chega ao ponto de colocar a saúde do paciente em risco.
  • A recomendação é procurar se acalmar e entender que a dor de infarto é extremamente intensa. Em caso de dúvidas, busque atendimento médico para que exames ?possam atestar a integridade do coração.

Sintomas de infarto

O infarto do miocárdio acontece quando um coágulo interrompe a circulação de sangue em uma região do coração. Pode ser causado por inúmeros fatores, geralmente combinados, como sedentarismo, tabagismo e diabetes e muitos outros.

  • É uma espécie de aperto ou compressão no peito muito forte, que pode variar de intensidade, mas é constante;
  • Pode irradiar para outras partes do corpo: dificilmente a dor é localizada, como na crise de pânico. Pode afetar pescoço, costas, braço esquerdo (normalmente) e causar sensação de queimação no tórax;
  • E?m alguns casos, também podem acompanhar náuseas e falta de ar;
  • Podem ser afetados, ainda, mandíbula, ombros e braços; ?
  • Se você sentir qualquer um dos sintomas, procure um médico o mais rápido possível. Se o infarto não for diagnosticado e o quadro voltar a se repetir, é recomendado procurar um psiquiatra, pois pode ser indicativo de síndrome do pânico.

LEIA MAIS IMPRIMIR ou SALVAR COMPARTILHAR ou SALVAR SALVAR PDF